Velozes e Furiosos 4 e seu passado obscuro

image Sempre que o primeiro filme dá certo, outros vem em seguida. Foi assim com Jogos Mortais, Carga Explosiva, Meu Vizinho Mafioso, A Múmia, Triplo X e tantos outros de sucesso. O problema é que nem sempre (e quase nunca mesmo) a seqüência consegue um nível tão bom quanto ou pelo menos aproximado ao do original. Alguns que conseguem tal fato, os estúdios já tentam mais uma seqüência e por aí em diante.

 

Uma franquia que me chamou atenção foi Velozes e Furiosos. O original de Rob Cohen conseguiu ser bom e falar sobre carros turbinados como nenhum outro e dar vida a vários filmes que seguiram o mesmo caminho, sem falar nos jogos que viram nesses modelos exóticos um novo caminho para o lucro.

 

Depois + Velozes e + Furiosos e Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio, que usaram uma fórmula bizarra em seu roteiro e que venho chamar de “duas seqüência terríveis e sem Vin Diesel”, a Universal tomou vergonha na cara e chamou de volta o elenco original, dentre eles estão Michelle Rodriguez, Jordana Brewster, Paul Walker e, claro, o já citado Vin Diesel. O diretor de Desafio em Tóquio, Justin Lin, é que comanda essa nova seqüência, da qual espero total melhoria e que o slogan do trailer “Novo Modelo, Peças Originais” faça a diferença e consigam criar um novo filme empolgante e que grude o espectador coma borracha de tanto pneu queimado.

 

Logo abaixo você confere o trailer.